Toque de saúde

A importância da higienização dos alimentos

Para evitar contaminação ou infecções provenientes da alimentação, é necessário que haja uma rigorosa higienização dos alimentos.

Os vegetais podem ter contaminação química, devido aos agrotóxicos; biológica, por conta de micróbios ou detritos orgânicos; e sujeira diversa, como poeira, partículas estranhas, etc. E é possível ocorrer a contaminação no alimento em todas as fases do ciclo produtivo: no local de plantio (insetos, pássaros, larvas, poeira), pelo uso de fertilizantes, na colheita, no transporte, na estocagem e mesmo no ponto de venda.

Quando é consumido algum alimento contaminado as consequências são várias. As sujeiras geram desconfortos gastrointestinais, como vômitos, engasgos e obstruções. A contaminação química pode levar a alergias, alterações em fetos, intoxicações e doenças hepáticas, renais e neurológicas, além de estar associada a diversos tipos de câncer. A biológica, como causa infecções extra intestinais com diversos desdobramentos e problemas.


Higienizar vegetais, frutas, verduras, legumes e raízes

Vegetais que são consumidos crus, como frutas, verduras, legumes e raízes, devem ser higienizados antes do consumo. Os orgânicos não escapam pois têm adubos orgânicos, estes também devem ser higienizado.


Como fazer:

Colocar os vegetais em água na mesma temperatura deles, os vegetais absorvem a contaminação do ambiente, essa característica é chamada de uptake. Portanto, ao comprar vegetais, não os coloque diretamente na água. Coloque primeiro em sacos limpos e abertos e guarde na geladeira na parte mais fria, normalmente é a gaveta, por pelo menos 2 horas. Depois disso, lave folha por folha e fruta for fruta, sempre em água corrente.

A seguir, mergulhe o vegetal em uma solução de 1litro de água com 1 colher de sopa de hipoclorito de sódio (água sanitária de boa procedência), por 5 a 20 minutos. Retire, enxágue e pronto.

A concentração de cloro livre varia na água sanitária, por isso cita a “boa procedência”, mas há outros produtos especificamente para esse fim e aprovados pela Anvisa, um deles é o Clorin, que não exige nem enxágue posterior.


Vinagre e bicarbonato não resolve

Você já deve ter ouvido falar que o vinagre é eficiente para lavar verduras ou mesmo o bicarbonato de sódio para tirar vermes, protozoários, bactérias ou micro-organismo. Mas na realidade, esses truques não adiantam efetivamente, já que no vinagre a concentração de ácico acético, pode variar, e há uma quantidade mínima para higienização, então não é um método confiável. O bicarbonato, por outro lado, pode ajudar na eliminação, mas não é cem por cento eficaz.


Carne

Carne crua (in natura) não precisa ser lavada e aliás o tiro pode sair pela culatra. Se você for consumir a carne crua não deve lavá-la, pois além de não conseguir eliminar os micro-organismo nocivos, isso aumentar a quantidade de água na carne, tornando-a um ambiente mais propício para as bactérias. Portanto, devem ser guardadas do jeito que chegaram do mercado para posteriormente ser usada ou congelada.